RMF: venda de imóveis gira R$ 238 mi; alta de 34%

Valor é referente ao resultado acumulado no 1º bimestre, quando o número de unidades vendidas cresceu 13%

No primeiro bimestre deste ano, a venda de imóveis na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) registrou alta de 13% no número de unidades, e de 34%, do valor geral de vendas (VGV), na comparação com o mesmo período de 2017.Ao todo, foram vendidas 335 unidades, no valor de R$ 238 milhões, nos meses de janeiro e fevereiro. Embora o resultado ainda esteja longe dos obtidos em 2015 (995 unidades e R$ 545 milhões em VGV), esta foi a primeira alta para o período dos últimos dois anos.

Considerando apenas o mês de fevereiro, foram vendidas 150 unidades, uma queda de 5% ante fevereiro de 2017, no entanto, o valor atingiu R$ 114 milhões, o que representou uma alta de 25%, na mesma comparação, devido ao aumento do ticket médio das unidades comercializadas no mês. Os dados foram divulgados ontem no levantamento Flash Imobiliário de fevereiro e consideram as vendas das 60 maiores construtoras que atuam na RMF nos segmentos “Residencial Vertical”, “Comercial”, “2ª Moradia” e “Residencial Horizontal”, exceto as unidades do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Apesar de uma pequena queda no número de unidades vendidas em fevereiro, o VGV foi superior ao do ano passado, e o número de unidades e o valor vendido no acumulado deste ano foi bastante superior ao do primeiro bimestre de 2017. E esse foi o fator mais positivo desse resultado”, diz Ricardo Bezerra, diretor executivo da Lopes Immobilis.

Residencial vertical

Segmento responsável por mais de 70% do mercado imobiliário da RMF, o “Residencial Vertical” registrou, no bimestre, alta de 26% no número de unidades vendidas e de 47% no VGV, somando 286 residências comercializadas no valor de R$ 207 milhões. No acumulado de janeiro e fevereiro, esse segmento também registrou a primeira alta dos últimos dois anos. Considerando apenas fevereiro, porém, houve uma queda nas vendas de 4% em unidades e um aumento de 31% no VGV, com 123 unidades comercializadas no valor de R$ 97 milhões.

Distratos

Em fevereiro, foram registrados 61 distratos (devolução do imóvel), dois a menos do que em igual mês de 2017. No ano, porém, já são 113 rescisões, três a mais do que no primeiro bimestre de 2017. No acumulado dos últimos 12 meses já são mais de 1 mil desistências, sendo agosto o mês com a maior quantidade (113), considerando todos os segmentos de imóveis.

Após passar pelos dois primeiros meses de 2017 sem nenhum lançamento, o setor lançou 2 empreendimentos neste ano, com 106 unidades no valor de R$ 80 milhões. Em fevereiro foi realizado um lançamento com 40 unidades e R$ 30 milhões de VGV.

“Apesar de não estar sentindo ainda aquele boom esperado pela retomada da economia, o mercado continua respondendo positivamente”, diz Ricardo Bezerra. “Estamos vendendo mais do que no ano passado, a economia está melhorando e, por conta disso, estou com uma expectativa positiva para este ano”.

Fonte: Diário do Nordeste